CONCORDÂNCIA


Pardalzinho

"O pardalzinho nasceu Livre.
Quebraram-lhe a asa.
Sacha lhe deu uma casa.
Água, comida e carinhos. 
Foram cuidados em vão:
A casa era uma prisão,
O pardalzinho morreu.
O corpo Sacha enterrou
No jardim; a alma, essa voou
Para o céu dos passarinhos!"

BANDEIRA, Manuel. Obra poética. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1982.

1. Você acha que o pardalzinho, ao morrer, ficou novamente livre? Justifique sua resposta de forma convincente.

2. Considerando que o verbo concorda com seu sujeito em número e pessoa, retire do texto dois exemplos de concordância verbal e explique-os.

Exemplo 1:

Exemplo 2:

3. Agora explique a concordância destas frases, lembrando-se de que o verbo, normalmente, concorda com seu sujeito.

a) O pardalzinho e Sacha eram amigos de verdade.
b) Tu e Sacha gostais de pardais?
c) Vocês amam a liberdade?
d) A maioria dos seres prefere casa à liberdade?

4. Em que alternativa se fez a concordância corretamente?
( ) A multidão avançavam pela praça com cartazes.
( ) Casa, comida e roupa lavado, nada o agradava.
( ) Os Maias tornou conhecido o escritor Eça de Queiroz.
( ) Haviam alunos naquela classe fechada.
( ) Brigou os gatos caolhos e os cães ferozes.

5. Reescreva as orações abaixo fazendo as alterações pedidas:

a) Veio o gerente e o vendedor com a mercadoria para a troca. (coloque o sujeito antes do verbo)
b) Tu e ela mereceis umas boas férias neste final de ano. (substitua o pronome “tu” pela primeira pessoa do singular)
c) Um grande número de jogadores treinava na sede do clube. (transforme o sujeito simples em composto)
d) Oferece-se bom emprego nesta empresa. (passe o termo “bom emprego” para o plural)

http://www.analisedetextos.com.br/2014/01/pardalzinho-questoes-de-concordancia.html

1 comentários:

Postar um comentário