FLOR EM SOPRO E BEIJO - MARCELO LEANDRO RIBEIRO


Flor em sopro e beijo
(Marcelo Leandro Ribeiro)
Acusou o golpe 
Quando em flor
Rugiu sem dentes
E fez-se em pétalas abertas
Ferida em sua consciência
Liberando ao léu o olor
Que lhe mantem a aparência
De bela, ainda que sem sê-la


Despida como a lua
Restou cingir-se na eloquência
De um soprar que a desnuda, 
Mas se inverso, no beijo, 
Faz-se abrigo, livra-a do perigo
Constrói-a novamente flor
Como seria antes do início

21:19h – 24/05/2014

1 comentários:

Postar um comentário